Social Items


Não basta o calor intenso, muitos bairros de Serra Talhada estão ficando por mais de 10 dias sem água. Alguns moradores estão revoltados com a situação e ameaçam a Compesa com protestos e denúncias. É o caso de Eduardo Júnior Alves Ferreira, que mora na Rua Jose Marcolino Alves, no Tancredo Neves 2. Ele disse, em contato com o Farol, por telefone, que está prestes a fechar a avenida esperando chamar a atenção para o descaso da Compesa com a localidade.

Eduardo Júnior informou que sua comunidade está há cerca de 12 dias sem água. “Estamos usando água comprada de roças velhas. Nem para lavar roupa, estamos com todas as roupas sujas. Somos um bairro esquecido pelo poder público. Não temos calçamento, esgoto estoura direto. Agora nem água temos! Também somos pessoas iguais às do Ipsep, Alto da Conceição, AABB, Centro”, reclamou o leitor, completando:
“Espero que a Compesa seja em breve privatizada. Melhor pagar mais caro, como no caso da Celpe, mas ter. Do que pagar e não ter. Minhas contas estão em dias, jamais atrasei um papel de água, e tenho todos os meus papéis para provar, mas está muito ruim. É um absurdo, não dá para passar mais do que 5 dias sem água. Entendo o racionamento, mas não assim. Chegou hoje (quarta-feira, 4), durante 20 minutos e fraca, não deu para subir para os reservatórios, não deu pra encher um balde de 200 litros”.

GRANDE PROTESTO
O leitor ainda ameaçou organizar junto com os demais moradores um grande protesto para chamar a atenção da Compesa e demais autoridades municipais para as necessidades públicas do bairro. “Estou revoltado! Por favor, precisamos mudar isso, racionamento existe e entendo, mas poderia ser 2 dias com água e 3 dias sem água. Ou 3 dias com água e 5 sem. Estou muito revoltado, pensando seriamente em fechar aquela avenida com pneus pra exigir respeito”, finalizou. Via Farol de Notícias

Moradores ameaçam queimar pneus e fechar rua em protesto contra a Compesa em Serra Talhada


Não basta o calor intenso, muitos bairros de Serra Talhada estão ficando por mais de 10 dias sem água. Alguns moradores estão revoltados com a situação e ameaçam a Compesa com protestos e denúncias. É o caso de Eduardo Júnior Alves Ferreira, que mora na Rua Jose Marcolino Alves, no Tancredo Neves 2. Ele disse, em contato com o Farol, por telefone, que está prestes a fechar a avenida esperando chamar a atenção para o descaso da Compesa com a localidade.

Eduardo Júnior informou que sua comunidade está há cerca de 12 dias sem água. “Estamos usando água comprada de roças velhas. Nem para lavar roupa, estamos com todas as roupas sujas. Somos um bairro esquecido pelo poder público. Não temos calçamento, esgoto estoura direto. Agora nem água temos! Também somos pessoas iguais às do Ipsep, Alto da Conceição, AABB, Centro”, reclamou o leitor, completando:
“Espero que a Compesa seja em breve privatizada. Melhor pagar mais caro, como no caso da Celpe, mas ter. Do que pagar e não ter. Minhas contas estão em dias, jamais atrasei um papel de água, e tenho todos os meus papéis para provar, mas está muito ruim. É um absurdo, não dá para passar mais do que 5 dias sem água. Entendo o racionamento, mas não assim. Chegou hoje (quarta-feira, 4), durante 20 minutos e fraca, não deu para subir para os reservatórios, não deu pra encher um balde de 200 litros”.

GRANDE PROTESTO
O leitor ainda ameaçou organizar junto com os demais moradores um grande protesto para chamar a atenção da Compesa e demais autoridades municipais para as necessidades públicas do bairro. “Estou revoltado! Por favor, precisamos mudar isso, racionamento existe e entendo, mas poderia ser 2 dias com água e 3 dias sem água. Ou 3 dias com água e 5 sem. Estou muito revoltado, pensando seriamente em fechar aquela avenida com pneus pra exigir respeito”, finalizou. Via Farol de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários