Social Items


O Náutico está classificado para a Copa do Nordeste 2020. Na estreia do técnico Gilmar Dal Pozzo no comando do clube, os pernambucanos derrotaram o Campinense por 2x0, nesta quarta (15), nos Aflitos, pelo duelo da volta da seletiva do torneio - a partida de ida terminou 2x1 para os paraibanos, no Amigão. Com o resultado, a equipe garantiu um valor aproximado de R$ 2 milhões da cota de televisionamento pela participação no próximo Regional, além de resgatar a confiança da torcida de olho no próximo e único objetivo que restou para 2019: o acesso à Série B.

Não foi somente o técnico que mudou. A postura do Náutico nos minutos iniciais foi bem diferente da apresentada nos jogos passados. Com Josa, Jhonnatan e Luiz Henrique no meio, além do apoio de Odilávio e Thiago mais abertos para ajudar na armação, o Timbu encurralou o Campinense no campo de defesa. Uma evolução motivada pela chegada do novo comandante? Seja qual for a resposta, os pernambucanos ainda apresentavam um antigo problema: o passe final, carência com peso grande principalmente pela ausência de um meia com característica de criação. 

Muitos escanteios, muitas faltas na entrada da área, muita posse e apenas uma chance real de gol, em bola que Odilávio furou na pequena área. Com o tempo como inimigo, já que o empate assegurava a classificação do Campinense, o Náutico aproveitou a marcação baixa dos paraibanos para adiantar todo o time. Sueliton e Camutanga jogaram praticamente no meio-campo. A bola rodou de pé em pé, mas a transição era lenta e esbarrava no ferrolho da Raposa, satisfeita com o 0x0. Sem gols, parte da torcida alvirrubra vaiou a equipe.

Com Rafael Oliveira na vaga de Josa, o Náutico se lançou ainda mais ao ataque. Postura que tinha seus perigos. No primeiro contra-ataque bem orquestrado, o Campinense quase complicou a vida dos mandantes. Ferreira saiu do meio-campo, apareceu na cara do gol, driblou Bruno e chutou. A bola tinha endereço certo, mas Hereda salvou na hora certa. O troco veio minutos depois. E em grande estilo. Luiz Henrique cruzou com precisão e Odilávio escorou de cabeça para abrir o placar nos Aflitos. 

O jogo caminhava para as penalidades, mas, aos 43 minutos, o Timbu deu o golpe final. A bola aérea, que tanto prejudicou o Náutico nas últimas rodadas, virou a solução. Rafael Oliveira aproveitou falta cobrada por André Krobel e marcou o gol que classificou o time para a etapa de grupos do próximo Nordestão.  Folha PE

Na estreia de Dal Pozzo, Náutico vence e se classifica para NE 2020


O Náutico está classificado para a Copa do Nordeste 2020. Na estreia do técnico Gilmar Dal Pozzo no comando do clube, os pernambucanos derrotaram o Campinense por 2x0, nesta quarta (15), nos Aflitos, pelo duelo da volta da seletiva do torneio - a partida de ida terminou 2x1 para os paraibanos, no Amigão. Com o resultado, a equipe garantiu um valor aproximado de R$ 2 milhões da cota de televisionamento pela participação no próximo Regional, além de resgatar a confiança da torcida de olho no próximo e único objetivo que restou para 2019: o acesso à Série B.

Não foi somente o técnico que mudou. A postura do Náutico nos minutos iniciais foi bem diferente da apresentada nos jogos passados. Com Josa, Jhonnatan e Luiz Henrique no meio, além do apoio de Odilávio e Thiago mais abertos para ajudar na armação, o Timbu encurralou o Campinense no campo de defesa. Uma evolução motivada pela chegada do novo comandante? Seja qual for a resposta, os pernambucanos ainda apresentavam um antigo problema: o passe final, carência com peso grande principalmente pela ausência de um meia com característica de criação. 

Muitos escanteios, muitas faltas na entrada da área, muita posse e apenas uma chance real de gol, em bola que Odilávio furou na pequena área. Com o tempo como inimigo, já que o empate assegurava a classificação do Campinense, o Náutico aproveitou a marcação baixa dos paraibanos para adiantar todo o time. Sueliton e Camutanga jogaram praticamente no meio-campo. A bola rodou de pé em pé, mas a transição era lenta e esbarrava no ferrolho da Raposa, satisfeita com o 0x0. Sem gols, parte da torcida alvirrubra vaiou a equipe.

Com Rafael Oliveira na vaga de Josa, o Náutico se lançou ainda mais ao ataque. Postura que tinha seus perigos. No primeiro contra-ataque bem orquestrado, o Campinense quase complicou a vida dos mandantes. Ferreira saiu do meio-campo, apareceu na cara do gol, driblou Bruno e chutou. A bola tinha endereço certo, mas Hereda salvou na hora certa. O troco veio minutos depois. E em grande estilo. Luiz Henrique cruzou com precisão e Odilávio escorou de cabeça para abrir o placar nos Aflitos. 

O jogo caminhava para as penalidades, mas, aos 43 minutos, o Timbu deu o golpe final. A bola aérea, que tanto prejudicou o Náutico nas últimas rodadas, virou a solução. Rafael Oliveira aproveitou falta cobrada por André Krobel e marcou o gol que classificou o time para a etapa de grupos do próximo Nordestão.  Folha PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários