Titular da extinta Decasp, Patrícia Domingos está à espera da liberação para trabalhar com Moro


A delegada especial Patrícia Domingos, que atualmente integra o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), aguarda apenas a liberação do governo do estado para atuar na equipe do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A policial atuava na Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), que foi extinta em novembro do ano passado por meio de decreto assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB). Nesta sexta-feira (15), Patrícia confirmou o convite feito pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). 

“O governo (estadual) ainda não formalizou a minha liberação. Estou aguardando. Acho, inclusive, que seria muito bom para o estado ter uma representante da Polícia Civil trabalhando em políticas públicas de segurança nacional”, argumentou a policial. Ela disse, ainda, que o convite foi feito recentemente para um cargo na Diretoria de Políticas Públicas, voltada para ações de combate à corrupção, tráfico de drogas, organizações criminosas e outros tipos de crime. 

A delegada argumentou também que um convênio entre o governo do estado e a Senasp permite que servidores públicos sejam deslocados para o órgão na condição de servidor mobilizado.  Questionado sobre a liberação da policial, a Secretaria de Defesa Social informou não ter recebido do Ministério da Justiça o ofício solicitando a liberação de Patricia Domingos. Confirmou, no entanto, que 50 servidores do estado já atuam na Força Nacional, quando a cota do estado é de 25 servidores. 

Na Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos, a delegada Patricia Domingos realizou investigações que resultaram na prisão de políticos e empresários. O projeto de lei extinguindo a Decasp foi aprovado na Assembleia Legislativa por 36 votos a favor e seis contra, gerando uma grande polêmica na sociedade. A Decasp foi substituída pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco). 

Proxima
Anterior
Click here for Comments

0 comentários:

Comentários