Setembro Amarelo: um mês de alerta e proteção à vida - G7 Salgueiro

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Setembro Amarelo: um mês de alerta e proteção à vida

Share This

Duas mil pessoas se suicidaram em Pernambuco entre 2011 e 2016, o que representa 344 óbitos por ano. Apenas entre 2015 e 2016, o número de mortes autoprovocadas aumentou 24% no Estado. No Recife, o fenômeno também parece apresentar alta de notificações. A Capital tem registrado nos últimos seis anos uma média anual de 124 mortes por essa causa, mas entre 2015 e 2016 verificou um acréscimo de 16%. 

Outro recorte que chama atenção é o suicídio infanto-juvenil. Em 2015, foram sete ocorrências entre o público de 10 a 14 anos de idade e em 2016 foram quatro. Entre os adolescentes de 15 a 19 anos as ocorrências saíram de 25 mortes para 32. Esses são alguns dados que expõem a problemática do suicídio no Estado e que reforçam a necessidade de discutir o tema. Neste mês, o Setembro Amarelo de Prevenção ao Suicídio terá uma série de ações governamentais e da sociedade civil para o assunto, que tem nesta segunda-feira (10) o Dia Mundial de Prevenção.

A Prefeitura do Recife realiza nesta segunda-feira (10) um encontro intersetorial junto com a Secretaria da Educação, sobre o tema “Prevenção ao Suicídio: Olhar Integrado para Promoção de Estratégias de Atenção e Cuidado”, no auditório do Banco Central, em Santo Amaro. O objetivo é sensibilizar os profissionais do ensino para perceber sinais de alerta entre crianças e adolescentes. “Escolhemos trabalhar com as escolas porque está bem pertinente agora abordar (o tema) com os profissionais da educação diante desse processo das crianças e adolescentes nos meios digitais. Houve uma incidência concreta de uma criança que veio óbito por conta do desafio da boneca Momo este ano. 

Em uma linha de prevenção, a abordagem (com trabalhadores da educação) vai ser voltada para que atenção se deve ter na escola para que se possa agir preventivamente”, comentou a gerente de Saúde Mental do Recife, Cleo Queiroz. Segundo ela, coordenadores pedagógicos e professores serão treinados para identificar entre os alunos comportamentos ou falas de risco ao suicídio e assim articular a rede de cuidados.

A Secretaria de Saúde da cidade diz que, considerando o grupo etário de 5 a 19 anos, entre os anos de 2010 e 2018 foram notificados 1.100 casos de tentativas de suicídio, sendo que 76% dos casos foram do sexo feminino. O uso de medicamentos foi o método mais usado por esse grupo (58%).

Além do evento desta segunda, o Recife também promove na terça-feira (11) um fórum de saúde mental com o tema “Promoção à vida e notificação de violência interpessoal e autoprovocada”, no Instituto Pernambucano de Ensino Superior (IPESU), na Rua São Miguel, 176, Afogados, e na Upinha Eduardo Campos, na Bomba do Hemetério, ambos às 14h. No dia 20, haverá sensibilização sobre o assunto com profissionais da Escola Estadual Othon Bezerra de Melo, que fica no Ipsep também às 14h. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages